Bolsa OTC traz novos ares ao mercado de capitais
dezembro 10, 2021
Topaz adquire Cobiscorp e amplia sua presença internacional
janeiro 6, 2022
Show all

Saiba por que o ALCO (Asset/Liability Committee), ou comitê de ativos e passivos, é essencial para as instituições financeiras

Antes de falarmos sobre ALCO é necessário lembrar o conceito de ALM, ou Asset/Liability Management (você já leu sobre o tema em nosso blog, não é?), expressão em inglês que denomina o conjunto de processos, controles e ações pontuais que, sob determinada governança, têm como objetivo administrar os ativos e passivos em um banco.

O foco da ALM, assim, é a gestão do risco de liquidez e de mercado decorrentes do descasamento (gap) de prazos e preços entre ativos e passivos — ou seja, o hiato de saldo, taxas de juros, moeda estrangeira, prazo ou indexador nos diversos segmentos dos negócios— e a gestão do capital para obter rentabilidade e conformidade regulatória, com vistas à alocação ótima.

Afinal, o que é ALCO?

ALCO, ou Asset/Liability Committee (denominação que pode variar de acordo com a organização), é o comitê cujos membros se reúnem para definir as políticas e normas de uma gestão de ativos e passivos adequada em instituições financeiras. Em outras palavras, esse fórum estabelece os limites e regras para que os profissionais de ALM operem de acordo com a estratégia do banco.

É importante observar, nesse sentido, que as pautas das reuniões de ALCO (cuja periodicidade está sujeita, principalmente, à complexidade das operações da instituição) variam de banco para banco — ou seja, não há um modelo específico.

Atribuições mais comuns do ALCO

De maneira geral, as decisões desse comitê envolvem:  

  • Gestão e relatoria de ALCO

               Formulação estratégica de ALM e relatórios gerenciais.

  • Gestão de ativos

               Gestão do livro de ALM (ou liquidez) e capital.

  • Gestão de funding

               Política de liquidez, gestão de funding com foco na diversificação e gestão de liquidez.

  • Gestão de riscos

               Formulação da política de hedge, monitoramento do risco de mercado e liquidez.

  • Supervisão da tesouraria

               Formulação do FTP (Fund Transfer Pricing), relatórios gerenciais e fundos de capital.

Participantes

A fim de garantir assertividade às discussões desse comitê — e, principalmente, à tomada de decisões —, há, de maneira geral, uma lista recomendável de participantes (que, naturalmente, depende de fatores como, por exemplo, volume e complexidade das operações da instituição financeira) — a saber:

– CFO (Chief Finnancial Officer);

– CEO (Chief Executive Officer):

– Diretor de Riscos;

– Tesoureiro;

– Economista-chefe.

Governança

A governança é um dos aspectos cruciais do ALCO, e suas reuniões devem ser documentadas por meio de atas que contenham todas as deliberações, de maneira clara, a fim de que seja possível compreender, integralmente, os fatores envolvidos nos debates que levaram à tomada de decisões. O mesmo ocorre com os materiais que serão encaminhados a todos os envolvidos, ou seja, é necessário que sejam elaborados de maneira assertiva a fim de viabilizar a implementação das diretrizes.

Processos complementares e respaldo às ações

Para todos os efeitos, portanto, pode-se afirmar que os processos de ALM têm início com o ALCO, ou comitê de ativos e passivos — que, nesse sentido, desempenha um papel eminentemente estratégico em instituições financeiras. Esse aspecto se traduz, principalmente, pelo respaldo que suas políticas e regras proporcionam às ações dos executivos no dia a dia.

CRK
CRK

Comments are closed.