O Ibovespa, ou Índice da Bolsa de Valores do Estado de São Paulo, é o principal indicador do desempenho médio das ações listadas no Brasil. De maneira geral, pode-se dizer que trata-se de uma carteira (ou cesta) teórica de ações que contém os ativos mais representativos, que movimentam cerca de 80% do volume total de negociações. Vale ressaltar que esse instrumento, também chamado IBOV, é de grande utilidade principalmente para os investidores.

 

Cálculo do Ibovespa

É importante destacar, no entanto, que nem todas as ações em bolsa fazem parte desse indicador, que é reavaliado a cada quatro meses e, por essa razão, sua composição está propensa a variações. Esse índice tem sua estrutura baseada na liquidez dos ativos disponíveis e, para acompanhar seu desempenho, a B3 estabeleceu um sistema em que cada ponto equivale a R$1.

 

Para que serve

O Ibovespa é, portanto, a principal referência para investimentos em renda variável no Brasil — em outras palavras, é o padrão utilizado para comparar a performance desses ativos (e isso inclui investidores estrangeiros ao redor do mundo, também). Para todos os efeitos, esse índice sintetiza as oscilações das ações listadas, simplificando o entendimento de stakeholders e do público em geral acerca do cenário em que o mercado financeiro a economia no país se encontram.

 

Critérios para inclusão

As ações que compõem essa carteira teórica são, assim, selecionadas de acordo com critérios de representatividade do ativo no mercado. Em outras palavras, devem:

  • representar 85%, em ordem decrescente do Índice de Negociabilidade (IN), dos ativos mais negociados em volume financeiro e número de negócios no período de vigência das carteiras anteriores (últimos doze meses);
  • estar presentes em, pelo menos, 95% dos pregões no último ano;
  • participar de, no mínimo, 0,1% no volume financeiro negociado no mercado a vista durante os últimos 12 meses (período de vigência das três carteiras anteriores);
  • ser negociadas por valores superiores a R$ 1. Vale ressaltar, porém, que não podem ser classificadas como penny stock ou estar em recuperação judicial.

 

Ações que compõem o Ibovespa

A carteira hipotética do Ibovespa é atualizada três vezes ao ano — e, no segundo quadrimestre de 2022, de acordo com a B3, totalizou 92 ativos de 89 empresas. Os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Vale ON (15,582%), Petrobras PN (6,864%), Itaú Unibanco PN (5,661%), Bradesco PN (4,606%) e Petrobras ON (4,492%). Essa composição, que tem como base o fechamento do pregão de 29 de abril de 2022, vigorará de 2 de maio a 2 de setembro de 2022.

 

Em outros países

A importância do Ibovespa se traduz pela existência de índices de referência semelhantes em todas as bolsas ao redor do planeta. É o caso do FTSE 100, da bolsa de valores de Londres; DAX, principal indicador da bolsa de Frankfurt, na Alemanha;  Nikkei 225, da bolsa de Tóquio (terceira maior do mundo); Standard & Poor’s 500 (S&P ou S&P 500), indicador americano com grande abrangência nos Estados Unidos que apresenta ações listadas nas bolsas de Nova Iorque (NYSE) e NasdaqDow Jones Industrial Average (DJIA ou Dow 30), que representa as 30 companhias com maior capitalização nas bolsas de Nova Iorque e Nasdaq e Shanghai Composite (SSEC), índice principal da bolsa chinesa — entre outros.