A gestão de ativos e passivos (ALM, ou Asset/Liability Management) é composta pelos processos, controles e ações pontuais que, sob determinada governança, têm como objetivo administrar os ativos e passivos em um banco, com foco em:

  1. gestão do risco de liquidez e de mercado decorrentes do descasamento (gap) de prazos e preços entre ativos e passivos — ou seja, o hiato de saldo, taxas de juros, moeda estrangeira, prazo ou indexador nos diversos segmentos dos negócios;
  2. gestão do capital para obter rentabilidade e conformidade regulatória, com vistas à alocação ótima.

Sobre o papel dos bancos

Para melhor compreensão, porém, é oportuno destacar o papel dos bancos como instituições financeiras especializadas em intermediar o dinheiro entre poupadores e quem precisa de capital, além de providenciar outros serviços — sempre assumindo os riscos inerentes a tais operações. Grosso modo, pode-se dizer que o negócio dos bancos é unir quem possui recursos a quem precisa de recursos.

Originalmente, a receita bancária vinha, principalmente, dos juros pagos por quem tomava empréstimos — e seus fundos eram quase totalmente compostos por depósitos. Mas com as evoluções do mercado financeiro e as novas necessidades dos clientes, assim como a sofisticação dos instrumentos e ferramentas disponíveis, os bancos também passaram a oferecer novos produtos e serviços.

Gestão de riscos

A evolução dessas ofertas e exposições trouxe, assim, novas variáveis a essa equação, aumentando a complexidade na gestão dos descasamentos entre ativos e passivos. Pode-se afirmar, portanto, que o papel da ALM é otimizar esses gaps por meio do estabelecimento de políticas como:

  • índices de capital;
  • índices de liquidez;
  • estrutura de ativos e passivos;
  • base de funding;
  • Fund Transfer Pricing (FTP);
  • risco de mercado;
  • risco de liquidez.

Deve-se observar que os processos, controles e ações de ALM em um banco são estabelecidas pelo ALCO (Asset-Liability Committee), ou comitê de ativos e passivos (a denominação pode variar de acordo com a instituição financeira), — cujas atribuições são:

  • gestão e relatoria de ALCO;
  • gestão de ativos;
  • gestão de funding;
  • gestão de riscos;
  • supervisão da tesouraria.

A atuação desse comitê, vale ressaltar, possui um viés estratégico ainda mais amplo — aspecto que aprofundaremos em nossos próximos artigos.

Novos cenários, novos desafios

Atualmente, fatores como a volatilidade causada pelas diferentes expectativas de mercado ao redor do mundo, mudanças na política monetária, câmbio instável e inflação crescente até em países desenvolvidos, entre outros, têm criado novos desafios e, principalmente, incertezas para bancos e instituições financeiras.

Isso significa que, diante desse cenário intrincado (e também da crescente oferta de produtos e serviços), utilizar as melhores e mais precisas ferramentas, além de contar com a atuação de profissionais especializados e experientes, é condição fundamental para que a gestão de ativos e passivos — ou ALM — em bancos e instituições financeiras seja, de fato, efetiva.